Afrodisíacos, veja quais tomar!

Rate this post

O que é um afrodisíaco?


De um modo simples, podemos dizer simplesmente que losafrodisíacos são substâncias que aumentam a sexualidade, tanto pode ser encontrado em ervas, chás ou em cápsulas como o Xtrasize que é um afrodísiaco derivado da maca peruana.


Desde tempos imemoriais as substâncias com algum efectoafrodisíaco foram objeto míticos de pesquisa em todas as sociedades rsrsrs.


A ciência não reconhece ningunaevidencia conclusiva do efeito afrodisíaco de nenhum principioactivo.


A imaginação ao serviço deum maior hedonismo sexual fez com que em todo o tipo de alimentos, ervas yotras tipos de produtos se tenha querido ver uma infinidade de atributos milagrososque produziam um maior vigor sexual do homem e a um maior interesse por elsexo na mulher.


Desde unpunto de vista estritamente médico se poderia fazer uma classificação de tais substâncias nos seguintes grupos:


Incrementadores da libido sexual(desejo sexual)


Seriam os afrodisíacos queacrecentarían o desejo do contato sexual.


Aumento da potenciasexual


Neste grupo estariam os que incrementarían opoder de ereção em elhombre e a capacidade de enfrentar um encontro sexualpor mais tempo.


Intensificadores do prazer sexual: Xtrasize


Seclasifican neste número os afrodisíacos capazes de obter um disfrutesexual mais agradável e mais um orgasmo mais intenso ou mais duradouro, o exemplo citado é do produto Xtrasize que promete orgamos mais duraudores e ereções mais prolongadas para quem sofre de disfunção erétil.


Os afrodisíacosa longo da história


Todos os países ycivilizaciones têm a sua lista particular de afrodisíacos, o qual demonstra laescasa consistência da eficácia real desses elementos. Isto contrasta com o vivo interesse que receberam desde sempre os homens de todas as razasy culturas por descobrir novas vias de recreio sexual e de compensação de lasmermas que, pela idade ou pela doença, sobrevêm certamente atodos.


Que diz a ciencia


Oficialmente não se reconhece nenhuma evidência delefecto afrodisíaco de nenhum princípio ativo


Tradicionalmente hanidentificado certos alimentos ou ervas como afrodisíacos, mas tambiéninsectos, perfumes,cosméticos, etc.


No passado,certas culturas como a árabe cercado de um valor quase mágico amultitud de fragrâncias e de preparações de uso cosmético que atribuíannotables qualidades para o exercício da sedução e o prazer sexual. No entanto, foram os alimentos e as plantas do herbário em geral, entodas as civilizações, os reis da farmacopeia afrodisíaca. Ao principiola simples aparência fálica da raiz de uma planta ou de seu fruto (espargos,pepinos, cenouras) servia para imaginar todo o tipo de qualidades desejáveis deámbito sexual.


Quando se incorporavam novos alimentostraídos de outras terras (batata, cacau, café), não faltam aqueles que eles queriam ver neles a solução afrodisíaca a uma necessidade não bem cubiertahasta o momento.


Por umas coisas ou outras, a listade alimentos dos quais a mitologia popular tem reforçado a idéia de queposeían um efeito afrodisíaco real tem vindo a aumentar ao longo de lossiglos. De tal acervo podemos destacar alguns peixes (salmão, arenque),frutos do mar (mariscos, mexilhões), caviar, pernas de rã, certos vegetais(alho, aipo, abóbora), temperos (manjericão, açafrão, pimenta, canela, baunilha,noz-moscada, estragão, cominhos), órgãos sexuais de animais (natal detoro ou de galinha), ovos de codorna, mel, vinho e licores, etc.


Outros afrodisíacos são ainda mais exóticos, retirados de um livro debrujería; destacam-se, aqui, alguns muito cobiçados, como o chifre de rinoceronte olos de cervo, patas de bode, extratos de gordura ou fígado detigre, Chan (substância com bufadienólidos como a bufotenina, poderosoalucinógeno, que se obtém do dorso de alguns sapos), âmbar (obtenidode baleias), cantaridina (substância muito perigosa obtidas a partir do pó pormaceración seca de alguns besouros chamados “mosca espanhola”), as hormigasnegras ou sangue de serpente.


Em relação às plantasson inúmeras as ervas que umas ou outras latitudes lhes haatribuido qualidade afrodisíaca. Podemos destacar aqui algumas como a venenosamandrágora, a Urtica dioca, a mamona, a Trigonella foenum-graecum, lavaleriana, a turnera afrodisíaco, a zarzaparrilla, o aloe indiano, o frutodel árvore de Ginkgo biloba e, claro, o ginseng vermelho coreano, entre muchasotras.


Por último, cabe destacar o papel de lasferomonas como substâncias de reclamação erótico. Sua existência é real flores yanimales jogando um papel muito relevante na atração, excitação sexual,o namoro e o cruzamento de muitas espécies animais (borboletas,elefantes, etc). O homem foi identificado este tipo de sustanciasolorosas no suor de determinadas regiões (órgãos genitais, axilas, etc.) e, se verificou uma certa capacidade de influenciar a conduta sexualtanto de mulheres como de homens. No entanto, o seu efeito não foi caracterizadobien e parece extremamente variável ou mesmo inexistente para muchaspersonas.


O Quédice a ciência sobre isso?


Os cientistas hanestudiado muito pouco a farmacologia afrodisíaca. Isso foi debidoprincipalmente a duas razões:



  • Que o sexo sempre foi um tema de estudo tabu dentro da ciência por laimportante carga ideológica que envolve e as severas limitações sociais ymorales, se não éticas, que tem em todas as culturasdesarrolladas.

  • A dificuldade para medir todo o quepertenece para a esfera psicológica ou sensitivo-afetiva delindividuo.

Por isso, muitos dos estudioscientíficos se limitaram a comunicar os efeitos nocivos de um grande número de substâncias com finalidade afrodisíaco foram consumidas e que hanprovocado intoxicação com resultado de morte de algumas pessoas.Isto foi descrito com relação a cantaridina, a mandrágora, a bufoteninay outras substâncias de efeito cardioactivo.


De cualquiermodo, embora a pesquisa centrou-se sobretudo em animais, existe unacierta experiência científica em relação a alguns fármacos ou substâncias quepodrían provocar um aumento da resposta sexual. Mesmo assim, o certo é queoficialmente não se reconhece nenhuma evidência conclusiva do efectogenuinamente afrodisíaco (com efeito impulsionador da libido) de ningúnprincipio ativo, e, de fato, a FDA (Food and Drug Administration, o organismo de saúde estadual, nos Estados Unidos, responsável pela autorização de sustanciasterapéuticas e alimentícias) não admite que exista algum fármaco com estaspropiedades. Esse mesmo corpo foi retirado do mercado norteamericanodeterminados produtos “afrodisíacos” dispensáveis sem receita que provocaronintoxicaciones em muitas pessoas.


O medicamentos afrodisíacos?


Sim que existem fármacos que potenciam a sexualidade, se consideramoscomo um grupo possível dentro dos afrodisíacos que aumentam o poderde ereção do homem, por exemplo. Neste ponto não podemos deixar demencionar da cloridrato de apomorfina (Uprima) ou o citrato de sildenafil(Viagra), o medicamento que revolucionou o tratamento da impotência e queparece exercer clara melhora da função erétil em cerca de dois década de três homens com disfunção erétil. Existem outras drogas, de másreciente aparição no mercado, e de efeitos semelhantes, mas com algunasdiferencias quanto às suas propriedades farmacológicas, como o Tadalafil(Cialis) ou o Vardenafil (Levitra).


O álcool, tanconsiderado por muitos como um ajudante de prática sexual, tem sido objetotambién de abundante estudo. A conclusão em relação ao mesmo se resume em quesu suposta ação mejoradora se deve ao seu efeito desinhibidor, favorecedordel cortejo sexual, mas sem possuir nenhuma qualidade real relacionada com elincremento do desejo ou da potência sexual.


O ginseng,obtido da planta oriental do mesmo nome, foi também estudado ennumerosas ocasiões, que demonstram, em parte, o seu único efeito como sustanciaagilizante e incrementadora da tolerância ao esforço (também o sexual), mas para além disso, os estudos não contribuíram com a idéia clara de que consigaun efeito afrodisíaco patente.


Outras substâncias, como losalquil-nitritos, entre eles o nitrito de amilo (popularmente conhecido como”poppers” na mídia, especialmente homossexuais) parecem possuir efectospotenciadores do gozo sexual, mas seu uso não está isento deriesgos.


Outros fármacos estudados são numerososextractos arvenses em animais e alguns princípios ativos cardiotónicos oestimulantes centrais, como o alcalóide ioimbina, de efeito cardio yneuro-excitantes, principalmente.


Também foram descritocolateralmente os efeitos afrodisíacos não esperados de determinados sustanciascomo o aminoácido arginina ou drogas de uso terapêutico convencional como laoxitocina, o hormônio que estimula as contrações uterinas no momento delparto, a bromocriptina, a L-dopa (medicamento para o tratamento do mal de Parkinson),o GABA (neurotransmissor cerebral), o deprenilo ou a amitriptilina; este é unantidepresivo clássico do que em seu momento foram descritas curiosos casosaislados de homens e mulheres com orgasmos espontâneos ao bocejar ou realizarotros gestos não propriamente sexuais.